sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Te espero

Canta, canta que o canto aquece,
solta, solta tudo
o que te entristece.
Vem pra mim?
Eu te espero mudo,
o peito cheio de amor sem fim.

Traz teu corpo
para o meu abraço,
ao meu lado há muito espaço,
divide comigo seu mundo?
Vem pra mim?
Eu te espero mudo,
o peito cheio de amor sem fim.

Canta, canta teu sonho
e eu volto a ser risonho
a crer que não existe absurdo.
Vem pra mim?
Eu te espero mudo,
o peito cheio de amor sem fim.