terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Passagem



Envolve-nos a agitação e a urgência
de mil coisas a fazer e arrumar.
Estabelece-se como rotina a premência
de que tudo deva se completar.
A tudo assisto com tranquilidade
por saber-te atenta e decidida.

Estou certo de que será fácil para ti
equilibrar-se desde aqui até a saída.
Sim, criança, refiro-me à passagem
do tempo no calendário marcado.
Sabes por que ele é visto como apressado?
Pois te conto a minha versão,
ainda que penses que estou errado:
cada ano a mais no calendário
traz-nos à consciência o extraordinário
saber sobre a nossa imperfeição;
a cada vez que muda o ano,
mudamos todos de alguma forma.
Da passagem para outro plano
bem mais perto certamente ficamos.

Logo, cabe a cada ser decidir
entre guardar e deixar ir.
Manter o que lhe convém e é útil
e descartar o que não mais lhe servir.

Por meu turno tenho algo a prometer:
por perto estarei, a te incentivar,
de fé e energia a lhe prover.
Pensa em mim como um fiel amigo,
por todo o sempre estarei contigo...