terça-feira, 21 de maio de 2013

Uma questão de escolha


O coração de quem sofre é solo fértil
para o cultivo de dores e lamentações.
Assim também é o ser que não tem fé
e acredita que de nada valem as intenções.
Ser um ser descrente por uma vida inteira
é possível e até, por certo, bem comum.
O problema porém é, na hora derradeira,
arrepender-se e querer consertar mil dias em um.
Àquele que ora lê versos tão singelos
fica o alerta para que reflita:
se fosse uma vida só,
como explicar-se-ia tanta desdita?
Por que todos nós, tão diferentes,
ao final somos iguais no fim em pó?
No fundo, crer é uma questão de escolha:
optar pelo que traz a cada um a paz;
aprender que sempre se recebe
na medida exata do que se faz...