quarta-feira, 11 de junho de 2014

Preciso...

Preciso de carinho e acolhimento,
mas que não seja derramamento.
Preciso de apoio e segurança,
mas que não venha com temperança.
Quero sentir a força de um braço
que abraça
e suporta,
sem ter medo do amasso.
Quero tudo o que é o máximo!
O pouco,
o mais ou menos,
o quase,
eu dispenso.
Porque o titubear
é próprio do não confiar.
É sempre estar tenso e não deixar
que a paixão te transtorne,
te envolva e te adorne.
A vida já é feita de senão,
de talvez e de muita razão.
Preciso de paixão,
de sentir palpitar
o coração
e me dar,
me deixar levar,
me deixar conduzir
a um porvir
de encanto,
de sedução,
de sorrisos e não de pranto.
E que tenha carinho e acolhimento,
mas que não seja derramamento...

Gustav Klimt
Romero Britto